window.advanced_ads_ready=function(e,a){a=a||"complete";var d=function(e){return"interactive"===a?"loading"!==e:"complete"===e};d(document.readyState)?e():document.addEventListener("readystatechange",(function(a){d(a.target.readyState)&&e()}),{once:"interactive"===a})},window.advanced_ads_ready_queue=window.advanced_ads_ready_queue||[];

sambafoot

Bateu forte, troca!

Bateu forte, troca!

O cinto é o item de segurança que mais salva vidas no trânsito. Quanto a isso, não resta a menor dúvida. Porém, ele só desempenha bem o seu papel se estiver em boas condições. Então, você sabia que em uma batida mais forte, mesmo sem vítimas ou estragos graves ao carro, os cintos que você e demais ocupantes estavam usando devem ser trocados, ainda que, aparentemente, não tenham sofrido danos?

Por quê? É que a fita tecida do cinto é programada para esticar de forma progressiva, ajudando a minimizar possíveis danos ao corpo das pessoas, o que acontece em batidas mais fortes. Só que o tecido esticado do cinto não volta mais ao normal. Então, mesmo que o cinto esteja operando sem problemas, num possível segundo acidente, a fita não irá ceder como deve, deixando de dar a proteção necessária.

Por isso, não economize. Se houve um acidente, mande trocar o cinto ou os cintos, de acordo com o número de pessoas que estavam no carro. Lembre-se: ninguém está livre de se envolver em um segundo acidente. E se o cinto não funcionar direito…

Foto: Emilio Camanzi

DEIXE SEU COMENTÁRIO
Emilio Camanzi

Emilio Camanzi

Emilio Camanzi  é um jornalista experiente e formador de opinião, com mais de 56 anos de trabalho dedicados a área automobilística. Seu trabalho sempre foi norteado pela busca da seriedade e credibilidade da informação. Constrói suas matérias de forma técnica, imparcial e independente, com uma linguagem de fácil compreensão. https://www.instagram.com/emiliocamanzi/ 🙋 PARCERIAS: apartamentos-rosa.com@gmail.com

Deixe seu comentário. Sua opinião é muito importante pra nós!:

%d blogueiros gostam disto:
sambafoot Mapa do site

1234