window.advanced_ads_ready=function(e,a){a=a||"complete";var d=function(e){return"interactive"===a?"loading"!==e:"complete"===e};d(document.readyState)?e():document.addEventListener("readystatechange",(function(a){d(a.target.readyState)&&e()}),{once:"interactive"===a})},window.advanced_ads_ready_queue=window.advanced_ads_ready_queue||[];

sambafoot

Fiat Toro ganha coração mais forte

Fiat Toro ganha coração mais forte

imagem-3-1650-x-1101

Apesar das boas vendas da Fiat Toro neste nosso mercado em crise – mais de 30 mil unidades desde fevereiro, quando chegou nas concessionárias, e o segundo lugar no ranking de comerciais leves, atrás da Strada (o que tem arrancado sorrisos dos executivos da FCA) – o modelo carecia de uma versão com um motor mais forte do que o 1.8 flex. Agora, chegou a Toro Freedom 2.4 TigerShark Flex, que vem para aumentar a opção para o consumidor, sem tirar nenhuma versão de produção. Ela estará nas concessionárias da marca até o fim deste mês.

O preço, no entanto, é curioso: parte de exatos R$ 98.730, o mesmo da versão diesel. O diferencial, porém, é que a 2.4 Freedom flex, além do novo motor TigerShark que é produzido no México, vem de série com o câmbio automático de nove marchas, enquanto a Freedom diesel vem com um manual de seis marchas. Em ambas, a tração é só nas rodas dianteiras. Outras diferenças ficam por conta do sistema start/stop, que desliga e religa o motor em paradas para economizar combustível; e a tecla Sport, que muda o mapa de calibração do motor deixando a picape com um comportamento mais esportivo. No quesito acabamento, os itens de série que a diferenciam da versão Freedom 1.8 flex, onde a Freedom 2.4 foi baseada, estão: a capota marítima; retrovisores externos elétricos; brake light; luz de caçamba; sensor de pressão dos pneus, volante em couro multifuncional; borboletas atrás do volante para trocas sequenciais; retrovisores externos elétricos e rebatíveis; rodas aro 16”; e uma nova opção de cor perolizada exclusiva, a Branco Polar. Em segurança, vem com controles eletrônicos de tração e estabilidade; sistema anti-capotamento; auxiliar de partida em rampa; e controle da pressão dos pneus.

[su_slider source=”media: 7711,7713,7710,7712,7714,7715,7718,7717,7719″ link=”image” target=”blank” title=”no” pages=”no”]

Motor

O nome Tigershark é uma homenagem ao feroz Tubarão Tigre – que chega a ter até seis metros de comprimento e é comum no Nordeste do Brasil – e, também, a um avião caça-bombardeiro norte-americano. Com bloco e cabeçote em alumínio, uma das novidades que traz é o sistema MultiAir2, que controla o tempo de abertura das válvulas de admissão por meio de um sistema eletro-hidráulico, gerenciado pela central eletrônica do motor. Tem, ainda, comando de válvulas acionado por corrente metálica, que não necessita de reposição, e sistema que dispensa o reservatório de gasolina para as partidas em baixas temperaturas com etanol, desenvolvido pela Magneti Marelli.

img_20161104_133537884_hdr-2080-x-1170

O resultado é que o 2.4 TigerShark entrega 189 cavalos de potência e 24,9 kgfm de torque com etanol e 174 cv e 23,5 kgfm com gasolina, permitindo que a Toro tenha no desempenho um de seus principais atrativos: 0 a 100 km/h em 9,9 segundos e 200 km/h de velocidade máxima, com etanol, e 10,5 s e 197 km/h, respectivamente, com gasolina.

 

Fichas técnicas: fichas-tecnicas

 

Fotos: divulgação FCA e Camila Camanzi (viajou a convite da FCA)

DEIXE SEU COMENTÁRIO
Emilio Camanzi

Emilio Camanzi

Emilio Camanzi  é um jornalista experiente e formador de opinião, com mais de 56 anos de trabalho dedicados a área automobilística. Seu trabalho sempre foi norteado pela busca da seriedade e credibilidade da informação. Constrói suas matérias de forma técnica, imparcial e independente, com uma linguagem de fácil compreensão. https://www.instagram.com/emiliocamanzi/ 🙋 PARCERIAS: apartamentos-rosa.com@gmail.com

Deixe seu comentário. Sua opinião é muito importante pra nós!:

%d blogueiros gostam disto:
sambafoot Mapa do site

1234