sambafoot

sambafoot - Governo vai atender montadoras e taxar carros elétricos importados

BYD Dolphin EV: sucesso na venda

Cobrança de impostos de importação para Carros Elétricos será gradualmente retomada no Brasil. Governo deve anunciar medida em breve

A pressão das montadoras de veículos tradicionalmente instaladas no Brasil deu certo e a isenção de impostos de carros elétricos será descontinuada. Apesar do governo federal ainda não ter anunciado oficialmente a medida, uma fonte de dentro do ministério confirma a informação. Com isso, os carros elétricos (que não são fabricados país) vão ficar, ao menos 35% mais caros.

A cobrança de impostos de importação para carros elétricos está prevista para ser retomada gradualmente no Brasil nos próximos três anos, conforme revelado pelo secretário do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), Uallace Moreira, em uma entrevista à Reuters. Essa decisão marca uma mudança significativa na política tributária para veículos elétricos, já que esses automóveis gozaram de isenção fiscal desde 2015.

De acordo com Moreira, a retomada dos impostos, que atualmente estão zerados, seguirá um cronograma que aumentará progressivamente as taxas até atingir os 35%, valor equivalente ao aplicado aos veículos movidos a combustão. Os detalhes específicos desse cronograma e os prazos exatos estão atualmente em discussão no âmbito do governo brasileiro.

Moreira argumentou que essa medida visa estimular a produção local de carros elétricos e proteger o mercado interno. Ele ressaltou que várias nações ao redor do mundo adotaram políticas protecionistas semelhantes para impulsionar suas indústrias automobilísticas. Curiosamente, desde a medida, nenhuma marca tomou iniciativa de produzir um EV no país…

O mercado de veículos elétricos no Brasil tem testemunhado um aumento notável na concorrência, com fabricantes chineses como BYD e GWM fazendo incursões significativas. Além disso, a Caoa Chery já oferece carros híbridos e elétricos no país, enquanto a Jac Motors optou por abandonar completamente o segmento de veículos a combustão.

Leia também:
Nissan Sentra 2023 chega por R$ 148 mil
Teste do Hyundai HB20 2023
Motorista com nome sujo pode perder direito de dirigir, decide STF
Caoa Hyundai anuncia 8 novos modelos para o Brasil até 2025
Kia Niro é eleito carro mundial da mulher de 2023

Márcio de Lima Leite, presidente da Associação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), expressou apoio à retomada da cobrança de impostos de importação em uma coletiva recente. Ele enfatizou que essa decisão é amplamente apoiada por todas as marcas representadas pela Anfavea. No entanto, ele também sugeriu a implementação de um sistema de cotas para permitir preços mais competitivos para os carros elétricos produzidos localmente.

É importante destacar que as fabricantes chinesas BYD e GWM já adquiriram fábricas no Brasil, localizadas em Camaçari (BA) e Iracemápolis (SP), respectivamente, com planos de produzir carros elétricos nacionais no futuro. Essas fábricas anteriormente pertenciam à Ford e à Mercedes-Benz.

Além disso, o governo planeja lançar uma medida provisória dentro dos próximos 15 dias para dar início à segunda fase do programa “Rota 2030”, que tem como objetivo aumentar a eficiência no setor automobilístico e será renomeado como “Programa Mobilidade Verde”. Esse programa está alinhado com os esforços para promover a mobilidade sustentável e reduzir as emissões de carbono no país.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
Postagem Relacionada
sambafoot Mapa do site