sambafoot

Teste Onix Plus LT 1.0 Manual

Pensando ainda na pegada de carros em versões mais em conta, como o último teste que fizemos do Fiat Pulse, hoje vamos conferir o Chevrolet Onix Plus LT 1.0 com câmbio manual modelo 2023. Um carro pra quem quer economia.

 

Quando foi lançado em setembro de 2019, o novo Chevrolet Onix Plus agitou o mercado de sedãs compactos. Para a linha 2023 não recebeu modificações. Porém com linhas modernas e que definem o DNA da marca, aliadas a um bom espaço interno, ainda agrada a grande maioria e continua sendo um dos modelos preferidos do segmento. E hoje a GM diz que nessa versão o Onix é um dos mais econômicos do mercado. É o que também vamos conferir neste teste.

A versão LT, com motor 1.0 aspirado e câmbio manual de seis marchas é a de entrada, a menos cara. Porém a que nos foi enviada para teste, veio com o pacote R8H, que adiciona alguns equipamentos a mais do que a básica e que elevam o preço em 3 mil reais.

Onix Plus LT              R$ 83,480

Onix Plus LT (R8H)   R$ 86.580

(agosto 2022)

 

Mas, caso você possa, valem a pena pois ajudam a tirar aquele ar de carro basicão. Como as rodas em liga leve de aro 15 polegadas, que fazem parte do pacote e que, junto com maçanetas e espelhos retrovisores pintados na cor do carro que já vem de série, dão um charme a mais ao Onix, deixando a identificação da versão só para o logotipo LT na traseira.

No interior, porém, poderia ser um pouco melhor. Materiais razoáveis disfarçam um pouco a profusão de plástico rígido. Emborrachado só o volante multifunção e a manopla do freio de mão. E vem com o básico que todos querem em um carro hoje em dia, como trio elétrico; ar-condicionado; quadro de instrumentos com computador de bordo; e central multimidia de 8 polegadas que espelha celular.

O pacote R8H incrementa com algo mais. Como chave presencial; partida por botão; sensor crepuscular; e câmera de ré.

Legal né. Mas acredite, o volante não tem regulagem de altura. E nem os sensores traseiros de estacionamento.

Ô dona GM. Economiazinha chinfrim essa, heim?

Sem novidades no espaço interno que é bom. Quatro adultos vão bem acomodados. No meio, aquela velha história: o ressalto do banco, o fim do console e o túnel central limitam o espaço. O porta-malas de 469 litros é bom. Seu único problema continuam sendo as alças que podem danificar a bagagem.

Capacidade do porta-malas: 469 litros

Em segurança é honesto. Por ser uma versão de entrada não espere nenhum sistema semiautônomo, claro. Porém, além dos obrigatórios cintos, apoios de cabeça e Isofix, tem seis airbags, controles de tração, estabilidade e auxiliar de partida em rampa de série.

Agora vamos falar de mecânica.

O motor é o 1.0 de três cilindros aspirado com duplo comando de válvulas. Desde o início do ano ele teve mudanças na calibração para atender às novas normas de emissão de gases. Mas manteve a potência e torque. Tem uma leve vibração ao funcionar que não me incomoda e emite um ‘ronquinho’ agradável nas acelerações.

Motor 1.0 flex – 12V

Gasolina    Etanol

Potência (cv)        78            82

Torque (kgfm)      9,6         10,6

E é ligado a um câmbio manual de seis marchas, que tem engates macios, precisos e com curso curto da alavanca. Bem legal. O único problema que senti nele, é um buraco entre a 2ª e 3ª marchas que se torna muito evidente em subidas um pouco mais fortes. Como o motor perde muita rotação entre uma e outra, é preciso segurar em segunda para manter a velocidade. Apesar disso, é um conjunto legal. Mas não espere um desempenho de Corvette dele não.

Desempenho

Gasolina    Etanol

0 a 100 km/h (s)            13,2         12,8

80 a 120 km/h (s)          18,8         18,5

Vel. Máxima (km/h)      180          180

Pode-se dizer que é suficiente para andar bem na cidade e encarar viagens sem grandes problemas. Porém como o motor só acorda de vez em torno de 3.000 rotações, para ter respostas mais rápidas, é preciso usar marchas mais curtas e esticá-las um pouco além do normal. E como o motor ganha 4 cavalos e 1 quilograma força metro de torque com etanol, usar esse combustível ajuda. E as retomadas de velocidade não pode ter preguiça de reduzir, principalmente com ele carregado.

Agora, quando o assunto é consumo, aí ele se sai muito bem. Afinal foi pensado pra isso.

Para um sedã compacto, porém espaçoso e indicado para família, fazer 11,1 km/l de etanol e 15,8 km/l de gasolina em nosso circuito padrão de testes, não é pra qualquer um não.

Consumo médio (circuito cidade/estrada padrão)

Etanol                   11,1 km/l

Gasolina               15,8 km/l

Tivemos também a oportunidade de fazer uma viagem de 800 quilômetros com ele, em duas pessoas mais bagagem, e chegamos a fazer ótimos 14,7 km/l com etanol e 20,4 km/l com gasolina. Isso mantendo velocidades de 70 a 120 km/h dependendo do trecho da estrada e com o ar-condicionado ligado.

Muito bom né? E no mais? O Onix Plus 1.0 LT roda macio e é confortável. Só deveria melhorar no isolamento acústico para ser um pouco mais silencioso em pisos irregulares. É estável, freia bem e a direção, apesar do volante não ter nenhuma regulagem, é precisa o que colabora no prazer ao dirigir. Se sai melhor na cidade, mas não faz feio em uma estrada. Porém, carregado, é preciso prestar atenção nas retomadas de velocidade. E ainda tem uma relação custo- benefício interessante.

Mas compensa tudo no consumo de combustível, um dos melhores atualmente no Brasil. Detalhe importante para quem precisa fazer economia com o preço dos combustíveis nas alturas. Um abraço e até a próxima.”

 

– Notas do Emilio –

Desempenho           5

Consumo              10

Segurança             8

Estabilidade          8

Acabamento            7

Espaço interno        8

Porta-malas           8

Custo-benefício       7

 

Informações técnicas do Onix Plus:

Ficha Técnica e Assessórios do Onix Plus 2023

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO
Postagem Relacionada
sambafoot Mapa do site